Qual a taça ideal?

É provável que você já tenha se visto em frente a uma prateleira com diversas taças e pensado: “por que há tantas diferentes?” As vezes comprar uma taça é tão complicado quanto escolher o vinho.

Então, a primeira atitude é entender por que há tantas taças de formatos diferentes. Da mesma maneira que determinados tipos de roupa ajudam a valorizar o corpo, para tirarmos o melhor proveito de uma garrafa de vinho também é necessário escolhermos a taça ideal.

Após muitos estudos, os recipientes foram desenvolvidos para conduzir o vinho para a boca e o nariz de maneira a realçar cores, aromas e sabores do fermentado, o que influencia no resultado. Para quem duvida, basta testar. Um paladar minimamente aguçado sentirá a diferença ao beber um mesmo vinho em taças completamente diferentes.

A marca austríaca Riedel, por exemplo, é uma das que acredita nesta premissa e possui cerca de 400 tipos e tamanhos de taças, uma para cada espécie de uva e/ou região do mundo.

>>>> Como dica, tenha sempre em casa os quatro modelos básicos: uma taça para brancos, duas para os diferentes tipos tintos (Bordeaux e Borgonha) e uma para espumantes. Se quiser, pode ainda ir além, com uma para rosados e uma para doces (apesar de que a taça de vinho branco também serve para essa função).

Quanto ao material da taça, existem basicamente três opções: de cristal, cristal de vidro ou vidro. A diferença entre elas é a presença e o teor de chumbo, metal utilizado em sua produção. A de cristal tem até 24% de chumbo, o cristal de vidro vem com cerca de 10% e o vidro não tem. O chumbo dá mais leveza, delicadeza e sonoridade, além de fazer com que a espessura da taça seja mais fina. As taças de cristal também são mais porosas. Esse fator também é positivo, pois, ao girarmos um vinho enquanto o degustamos, forçamos as moléculas contra a parede áspera, quebrando-as e, desse modo, obtendo grande concentração de aromas. Por fim, em 2006, foram lançadas as taças “inquebráveis”, feitas de um material chamado Kwarx, pela Mikasa, Schott Zwiesel e outros.

Tipos básicos de taças:

> Taças para vinhos tintos
O vinho tinto precisa de espaço para respirar, pois tem aromas e sabores intensos. Por isso, a taça tem corpo grande, fazendo com que se libere toda a sua potência. O formato também é ideal para que a bebida possa “dançar”. Por esse motivo, também é importante lembrar que ela deve apenas ser preenchida até um terço de sua capacidade.

> Taças para vinhos brancos
As taças têm corpo menor do que as para vinho tinto por dois motivos. Primeiro, o vinho branco precisa ser consumido em temperaturas mais baixas e, portanto, em um recipiente menor, que permita menos trocas de calor com o ambiente. Segundo, porque precisa que sejam realçadas as notas de frutas. A aba estreita entrega o fluxo do vinho através das áreas da língua com equilíbrio entre doçura e acidez, crucial para os brancos.

> Taças para vinhos rosados
Os vinhos rosés possuem os taninos dos tintos, mas os aromas dos brancos. Por esse motivo, a taça costuma ser menor que a dos brancos, mas com bojo maior. Ela deve acentuar a acidez do vinho, equilibrando assim sua doçura. Se não tiver uma taça específica para rosés (poucas marcas possuem), pode usar uma para vinho branco.

> Taças para vinhos doces e fortificados
Possuem bojo pequeno, justamente porque as pessoas consomem vinhos doces e fortificados em quantidades menores. Também são mais estreitas na parte superior. Seu design ajuda a conduzir o fluxo da bebida diretamente para a ponta da língua, região onde os sabores doces são mais percebidos.

> Taça para espumantes e/ou champagnes
Para um Champagne ou um espumante comum, a taça adequada é a que chamamos de flûte, ou flauta. Ela serve para que possam ser apreciadas as borbulhas, ou perlage. A taça fina também direciona a efervescência e os aromas para o nariz, enquanto controla o fluxo acima da língua, mantendo o equilíbrio entre a limpeza da acidez e a saborosa profundidade. Quanto mais bojo tiver a taça, melhor, pois se for reta demais no sentido longitudinal não irá realçar os aromas. Se o Champagne for Cuvée ou de safra especial, faz-se necessário um recipiente com corpo curvo, para que o apreciador possa sentir alguma fruta.

> Taça ISO
Por fim, existe a taça ISO (International Standards Organization), criada em 1970. Ela é uma espécie de taça coringa, pois serve para todos os tipos de vinho. É muito utilizada para degustações técnicas, para que possa ser mantida uma referência entre diversos tipos de fermentado. Por isso, pode ser um dos melhores modelos para começar o seu acervo. Ela é relativamente pequena e totalmente cristalina. Seu bojo é maior e ela é fechada na parte de cima. É boa especialmente para a parte aromática.

Modelo taça ISO

tacaISO

Modelos de Taças

tacavinho2

foto 1

(0) Comentar

Brunch

Como sabem, já fui algumas vezes e gosto muito de passear em Buenos Aires e arredores, sendo que dessa vez fiz questão de ir ao BRUNCH no restaurante L’Orangerie, do Alvear Palace Hotel – em Recoleta.
Para aperfeiçoar o trabalho que faço em decoração de mesa e etiqueta `a mesa, não poderia deixar de conhecer mais uma das inúmeras opções de como fazer e servir um BRUNCH.
Havia uma mesa enorme de entradas com variedades incríveis de queijos, frios, cogumelos e pães; camarão, vieira, ostra, lula, polvo e caviar, cordeiro, pato de pequim, lombo com cogumelos, ravioli de salmão, sushis, sashimis e crepes, dentre outros.
Para completar essa maravilha gastronômica tinham as delicadas e deliciosas sobremesas e ainda, o café com petit four.
Um serviço impecável, montagem de mesa seguindo todas as regras da etiqueta, com troca de talheres e pratos sem que a gente nem percebesse, e lógico taças em cristal para servir os vinhos, os champagnes, água e sucos.
Quanta satisfação e prazer, heim!!!!

Como organizar um BRUNCH?

Os eventos que acontecem pela manhã podem ser comemorados com um delicioso brunch, pois ele confere um caráter descontraído e proporciona um delicioso encontro entre amigos e familiares.
O brunch é uma invenção americana que mistura o breakfast (café da manhã) com o lunch (almoço) e funciona com todas as vantagens destas duas refeições. Geralmente começa entre o café manhã e almoço, então sugiro que marque o evento por volta das 11:00, podendo organizar tudo com calma, e terminar por volta das 17:00, deixando seus convidados a vontade para fazer outra programação à noite.

O serviço à americana é perfeito para esta ocasião, pois utiliza-se de buffet – pode deixar a mesa posta com todos os alimentos, e quem for chegando pode se servir a vontade.
A grande vantagem do brunch é que você pode preparar tudo com antecedência, e não precisa ficar naquela correria entre cozinha e sala, aproveitando muito mais a conversa e a companhia do seus convidados.
Não esqueça de contratar um ajudante para manter as bandejas com os alimentos bem arrumados e fazer a reposição sempre que necessário, além de regularmente retirar pratos e copos usados.

Como é uma junção entre duas refeições principais, o brunch não pode ter apensas os pratos de um café da manhã comum, é necessário incluir alguns pratos quentes. O ideal é que você ofereça uma variedade de alimentos, pois assim além de agradar a todos, certamente terá uma mesa mais bonita.

Para fazer um bom brunch, é necessário que os produtos sejam extremamente frescos. Uma boa dica para mantê-los na temperatura ideal é usar bowls com gelo, e se houver pratos quentes eles precisam estar permanentemente aquecidos com ajuda de réchauds.

Sirva sempre em porções pequenas e variadas, como se fosse um menu degustação, dando a oportunidade do seu convidado experimentar um pouco de tudo. Não existe uma regra para criar o cardápio exato, mas darei dicas no meu curso e aqui deixarei algumas fotos.

Use a criatividade e bom apetite!

brunch23

brunch1

brunch2

brunch3

brunch4

brunch5

brunch6

brunch7

brunch8

brunch9

brunch11

brunch12

brunch16

brunch17

brunch18

brunch19

brunch20

brunch21

brunch22

imagem19

(0) Comentar

Botas – inverno 2014

O assunto da moda no momento, são as botas “Cuissardes” ou “Over The Knee Boots”.
As marcas que mais apostaram nas botas foram: Ralph Lauren, Alexander Wang, Donna Karan, Antonio Berardi e Topshop.
Se engana quem pensa que esse tipo de bota com cano tão alto, deixa o look vulgar ou cafona; se usadas com bom-senso e bom gosto, as botas dão um toque super sofisticado!
Deixo aqui, algumas sugestões para você usar nessa tendência inverno 2014.

bota2

bota3

bota4

bota5

bota8

bota9

bota10

bota11

bota12

bota16

bota17

SONY DSC

bota19

foto12

foto15

(0) Comentar
Página 1 de 212
Topo